Paulo Freire

1)    Como se explicam os conceitos a seguir:

·        Educação Bancária
Entre educador e educando há uma relação de verticalidade, em que um é o sujeito e o outro objeto. O educador é o sujeito que detêm o conhecimento, pensa e prescreve, enquanto o educando é o objeto que recebe o conhecimento é pensado e segue a prescrição. O educador “bancário” faz "depósitos" nos educandos e estes passivamente as recebe.

·        Educação Libertadora
Paulo Freire chama de educação libertadora ou problematizadora a educação em que não existe uma separação rígida entre educador e educando. Ambos são educadores e educando no processo de ensino e aprendizado.

·        Educação e Diálogo
O diálogo transforma e melhora a forma de educar, pois há um encontro dos homens e uma interferência do mundo, por meio da quais os homens podem “pronunciá-lo”. É pelo diálogo que os homens transformam o mundo e ganham sentidos enquanto homens.

·        Aprender ensinando e ensinar aprendendo
Para um educador não basta somente reter o conteúdo e passar para o aluno, ele tem que ao mesmo tempo em que ensina aprender com tudo que acontece durante o ensinamento e, o mesmo ocorre com os educandos, enquanto eles aprendem podem ensinar ao educador.



·  Pedagogia do Oprimido X Pedagogia da Esperança X Pedagogia da Autonomia

A Pedagogia do Oprimido é uma pedagogia problematizadora, que se presta como pedagogia do homem; pedagogia que parte dos interesses individuais, que precisa ser realizada para que surja uma educação com práticas de liberdade.

Segundo Paulo Freire, "ninguém educa ninguém, ninguém tão pouco se educa sozinho, os homens se educam entre si mediados pelo mundo". Por isso o conceito de pedagogia da autonomia está conectado a atividade de cooperação, o educador ensina o educando de forma que ele desenvolva uma capacidade de buscar o conhecimento por conta própria.

Enquanto a pedagogia da esperança traz consigo o conceito de sonhar e enfrentar as dificuldades para vencer ao longo da vida, pois se a palavra e o discurso nos constituem, somados às nossas relações com o mundo e com a nossa história, isso nos determina como pessoas inacabadas em constante aperfeiçoamento.

2)    Escolha dois princípios de Freire, abaixo indicados e mostre sua relação com a construção do conhecimento.

·        Ensinar exige respeito aos saberes do educando.
·        Ensinar exige curiosidade epistêmica.

Todo educador tem o dever de além de respeitar os saberes carregados pelos educandos, mas também discutir e se possível associá-los com a especialidade que se ensina. Agindo dessa forma, o ensino se tornaria prazeroso e mais significativo, pois facilitaria a absorção e distribuição do descoberto ao longo da vida, uma vez que estaríamos associados ao novo conhecimento o conhecimento anterior.



O exercício da curiosidade, por sua vez, aumenta à imaginação, a percepção, a capacidade de conjeturar. O essencial é que o educador e educando saibam que a atitude deles, do docente e do estudante, é aberta, dialógica. O que importa é que professor e alunos se assumam epistemologicamente curioso. Mas, não podemos esquecer que a curiosidade, assim como a liberdade, deve estar sujeita a limites eticamente adquiridos por todos.

3)    O que é ensinar?
Ensinar não é somente transmitir conhecimentos, é levar o educando a descobrir que o ele ainda não conhece, mas, ao mesmo tempo, aprender enquanto educa.

Ensinar não é uma relação de domínio entre o saber do docente e a ignorância do educando. Uma vez que o estudante traz de casa uma carga do mundo, ele já tem um conhecimento e uma experiência de vida.
Ensinar é levar em consideração a vivência do outro e a sua própria vivência,

4)    Baseado em Freire, formule um princípio sobre o ensinar.
Ensinar é tentar transformar e evoluir a pedagogia e ao mesmo tempo se transformar e evoluir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário